Home » Aurora Austral » Tempestade Solar: o que é? Como acontece?

Tempestade Solar: o que é? Como acontece?

tempestade solar
26 mar 2021 Aurora Austral, Aurora Boreal, VIDA SELVAGEM 0 COMENTÁRIOS

A tempestade solar é o fenômeno responsável por um dos jogos de luzes mais bonitos no céu, as auroras boreais e austrais.

A atividade solar é algo que afeta o sistema solar como um todo e de diversas formas, uma delas é a chamada Tempestade Solar

Esse fenômeno pode ser bastante prejudicial para nossa civilização, mas na maioria das vezes os efeitos são de baixo impacto, podendo até ser positivos.

Esse fenômeno é responsável também por um dos fenômenos mais bonitos do planeta Terra: a Aurora Boreal. 

Mas, o que é de fato uma tempestade solar

Acompanhe o conteúdo e entenda o que é e como ela ocorre!

Tempestade solar: o que é?

Embora o Sol pareça ser apenas uma esfera luminosa no céu, é preciso lembrar que ele também é uma estrela, ou seja, um enorme reator termonuclear que dispara enormes quantidades de radiação concentrada na forma de partículas e em fluxo constante, chamado de ventos solares.

Esses ventos solares banham o Sistema Solar como um todo, em energia e não apenas em forma de luz, mas também de partículas eletricamente carregadas e campos magnéticos. Eles podem atingir também alguns milhões de km/h, carregando o plasma solar por todo espaço a cada segundo.

Qual a relação da Tempestade Solar com as Auroras?

A tempestade solar também pode ser definida como a interação dos ventos solares com o campo magnético terrestre.

A tempestade solar pode ter uma duração de alguns minutos, várias horas, mas seus efeitos podem permanecer na Terra por até algumas semanas. 

Dois eventos principais são causados pelas tempestades solares: 

  • Erupções solares; 
  • Ejeções de massa coronal.

Erupções Solares

As erupções solares são explosões na superfície do Sol causadas por repentinas mudanças em seu campo magnético, resultando em altos níveis de radiação na forma de plasma. 

Essas erupções costumam ocorrer com maior frequência na época de máximo solar, que ocorre uma vez a cada ciclo de 11 anos. Existem 3 categorias dessas erupções, divididas em classes X, M e C. 

  • X: grandes erupções que afetam os produtos eletrônicos e produzir tempestades solares e alta duração;
  • M: médias erupções que afetam mais a região dos polos terrestres;
  • C: pequenas erupções que não afetam a Terra.

tempestade solar

Ejeção de Massa Coronal (EMC)

CME, sigla em inglês para Ejeção de Massa Coronal, são os grandes protagonistas das auroras boreais e austrais. Dessa forma, são lançadas no sistema solar com altíssimas velocidades, carregam uma grande quantidade de plasma coronal.

Esse evento pode ocorrer de 3 formas e cada uma delas tem um tipo de emissão de plasma e de comportamento diferentes, são elas: 

  • estruturas entrelaçadas, 
  • filamentos e; 
  • buracos coronais.

As estruturas entrelaçadas são quando grandes estruturas do campo magnético do sol se entrelaçam, liberando grande quantidade de energia eletromagnética. Essa atividade produz as tempestades geomagnéticas.

O CME por filamentos ocorre sem a presença de manchas solares. Esses filamentos se prendem em duas extremidades, formando um arco. 

Por conta da tensão, o filamento se rompe e chicoteia uma grande quantidade de plasma. 

Por fim, os buracos coronais são regiões com temperaturas menores e menos densas que o Sol, mas são buracos com o tamanho de centenas de Terras. 

Seus campos magnéticos ficam abertos, possibilitando que, do plasma solar, surjam as CME’s.

Tempestade Solar e Aurora Boreal

As tempestades solares são responsáveis por um dos mais belos fenômenos da natureza: as Auroras Boreais e Austrais

Então, quando as partículas eletricamente carregadas conseguem penetrar magnetosfera, elas acabam por se chocar com átomos de oxigênio e nitrogênio, resultando na emissão da luz que vemos no céu.

Mas nem tudo são flores. A tempestade magnética também pode prejudicar o funcionamento de computadores de bordo, satélites, circuitos integrados, entre outros. 

Por isso, algumas companhias aéreas, que levam aviões em latitudes onde a comunicação por satélite não pode ser utilizada, as tripulações utilizam rádios de alta frequência para manter a comunicação. 

Tudo sobre a Aurora Boreal

Continue acompanhando nosso blog para mais informações sobre a Aurora Boreal! Confira nossas próximas expedições.

Marco Brotto caçador de Aurora Boreal
MARCO BROTTO
Marco Brotto tornou-se conhecido como o caçador brasileiro de Aurora Boreal. Já viu centenas de spots de Aurora Boreal em vários locais do mundo, proporciona experiências incríveis para aqueles que o acompanham e possui um espetacular acervo de fotos de auroras.
POSTS RELACIONADOS
A realização de um sonho: depoimento da Expedição #83 para a Islândia
A realização de um sonho: depoimento da Expedição #83 para a Islândia
< LEIA MAIS
Você conhece a Floresta Boreal?
Você conhece a Floresta Boreal?
< LEIA MAIS
Papai Noel: qual a história do bom velhinho?
Papai Noel: qual a história do bom velhinho?
< LEIA MAIS