Home » Aurora Boreal » Como se forma a Aurora Boreal? Entenda tudo

Como se forma a Aurora Boreal? Entenda tudo

Entenda como se forma a Aurora Boreal
26 abr 2021 Aurora Boreal, POR TRÁS DAS LENTES 0 COMENTÁRIOS

Que a Aurora Boreal é um dos fenômenos mais belos do mundo todo mundo já sabe. Mas, é importante entender o que ela é. Como aparece. E, exatamente como podemos ver ela. Para não criar nenhuma expectativa em relação a este fenômeno.

Existem diversas nomenclaturas e explicações diferentes de como a Aurora Boreal se forma. No post de hoje vamos mostrar e explicar a formação desse maravilhoso jogo de luzes no céu.

Mas, afinal, como acontece Aurora Boreal?

Conhecida cientificamente como Aurora Polar, a Aurora Boreal (saiba mais) é um fenômeno físico-químico que resulta do choque do plasma solar com os elementos das camadas superiores da atmosfera da Terra. Esse plasma, que viaja centenas de quilômetros por segundo no sistema solar, é composto por prótons, elétrons e neutrinos, ou seja, pura energia!

A ciência por trás do fenômeno da Aurora Boreal

Como dito anteriormente, o plasma é formado por prótons, elétrons e neutrinos, que darão as características de uma aurora. Os prótons acabam por causar auroras mais difusas e pouco visíveis ao olho humano, formando apenas um brilho no céu, como se fosse uma poeira brilhante.

O que é Aurora Boreal

Já os elétrons, por chegarem a Terra e já serem energizados em razão de sua aceleração, rompendo o campo magnético e colidindo com átomos e moléculas de oxigênio e nitrogênio na atmosfera, geram auroras mais visíveis, dançantes e coronais.

No entanto, as auroras podem aparecer tanto como um brilho mais difuso, quanto uma espécie de cortina estendida no sentido horizontal, e algumas vezes são formados arcos que mudam de forma constantemente. Existem várias formas, vamos tratar delas em um próximo post.

Cada uma dessas cortinas consistem em vários raios paralelos e alinhados na direção das linhas do campo magnético, sugerindo que o fenômeno está alinhado com o campo magnético terrestre.

No hemisfério norte, as auroras são conhecidas como Auroras Boreais, nome dado por Galileu Galilei, em referência à deusa romana do amanhecer, Aurora, e Boreas, deus grego, representante dos ventos do norte. Já em latitudes do hemisfério sul a aurora é conhecida como Aurora Austral, nome dado por James Cook, uma referência direta pelo fato de se apresentarem ao Sul do planeta.

Por que as auroras aparecem nos polos?

As auroras, tanto Boreais quanto Austrais, ocorrem em regiões com latitudes elevadas em função da força do campo magnético da Terra. Como a velocidade dos ventos solares é alta (mais de 1,5 milhão de km/h), ao chegar em nosso planeta, eles são atraídos diretamente pela força magnética criada pelo núcleo da Terra, e por isso vão para os polos.

Como funciona a Aurora Boreal

Uma parte desses ventos é atraída para a camada mais superior da atmosfera, a ionosfera, entrando em uma espécie de túnel magnético e aumentando sua velocidade. Assim, esse vento eletricamente carregado se choca com os gases atmosféricos e a Aurora Boreal se forma!

Curiosidade: esse fenômeno não é exclusivo do planeta Terra! As auroras podem ser observadas também em outros planetas do sistema solar, como Júpiter, Marte, Saturno e Vênus.

Cores da Aurora Boreal

As cores que cada Aurora Boreal ou Austral emite é o verdadeiro ponto de fascinação por este fenômeno. Elas são resultado da ação do plasma com os diferentes elementos da atmosfera. Mas, isso depende da velocidade e altitude em que se encontra.

O efeito luminoso é dominado pela emissão de átomos de oxigênio em altas camadas atmosféricas, em torno de 200 km de altitude. É o que produz a tonalidade verde. Quando a tempestade é um pouco mais forte, as camadas mais baixas são atingidas pelos ventos solares. Em torno de 100 km de altitude, produzindo tonalidades avermelhadas por conta da emissão de nitrogênio.

A interação entre as moléculas de oxigênio e nitrogênio, ambas gerando tonalidades na faixa do verde, cria um efeito denominado “linha verde auroral”, observado pela Estação Espacial Internacional. Ainda, a interação entre esses mesmos átomos pode criar uma “linha vermelha auroral”, mas sendo mais raras e presentes em altitudes mais altas.

aurora boreal ilhas faroé

Quanto mais veloz e mais denso o plasma chega a Terra, isso torna mais fácil cores como o rosa e púrpura acima do verde. Mas, se liga nisso. As cores vermelhas acima do verde, vista em algumas fotografias, não são vistas a olho nu. Ela não é sensível a todos os seres humanos.

Conseguiu entender como uma Aurora Boreal se forma no céu? Agora você já sabe explicar se alguém perguntar! Não deixe de acompanhar o nosso blog e para mais curiosidades e novidades sobre a caçada da Aurora Boreal!

Confira também as próximas expedições com o Marco Brotto, Caçador de Aurora Boreal®.

Marco Brotto caçador de Aurora Boreal
MARCO BROTTO
Marco Brotto tornou-se conhecido como o caçador brasileiro de Aurora Boreal. Já viu centenas de spots de Aurora Boreal em vários locais do mundo, proporciona experiências incríveis para aqueles que o acompanham e possui um espetacular acervo de fotos de auroras.
POSTS RELACIONADOS
Aurora Boreal onde ocorre: confira 10 destinos
Aurora Boreal onde ocorre: confira 10 destinos
< LEIA MAIS
Conheça a origem e o significado do nome Aurora
Conheça a origem e o significado do nome Aurora
< LEIA MAIS
Livro com fotos da Aurora Boreal: vote na capa e concorra a prêmios
Livro com fotos da Aurora Boreal: vote na capa e concorra a prêmios
< LEIA MAIS