Home » Destinos » Mitos e Lendas da Aurora Boreal

Mitos e Lendas da Aurora Boreal

Mitos e Lendas da Aurora Boreal

Há muitos mitos e lendas sobre a aurora boreal. Os vikings noruegueses, por exemplo, acreditavam que ela era a grande ponte “Bifrost” entre os deuses e a terra.

Presente na Terra desde de seu surgimento, as Luzes do Norte são velhas conhecidas dos seres humanos e o que se modificou ao longo dos anos foi a forma como enxergamos e descrevemos este fenômeno.

A história da Aurora Boreal tem raízes muito antigas, muitos artistas já usaram como musa a Dama da Noite e se renderam às suas belezas. Por ser tão bela e misteriosa é cercada de mitos e lendas para explicar o fenômeno, tanto que se criou um folclore ao redor dele.

Eu mesmo, no meu primeiro contato com Aurora Boreal na Noruega no primeiro instante tive medo, chamei ela de Monstro Verde, mas segundos depois foi só contemplação e paixão.

As auroras também influenciaram o desenvolvimento de história, religião e arte. E no post de hoje quero te convidar para um mergulho no universo histórico da Aurora Boreal, através dos mitos e lendas sobre a nossa querida Dama da Noite.

Os povos antigos da Aurora Boreal

Atualmente, tem se diversas explicações, principalmente científicas sobre o surgimento e formação da Aurora Boreal.

Inclusive , cientistas americanos comprovaram cientificamente em Terra que a aceleração de elétrons provoca a Aurora Boreal. 

Um dos gráficos que mais utilizo é o de elétrons, ele vai determinar uma linda característica da Aurora. Luminescência. 

 Mas, como os povos mais antigos explicam tal fenômeno? O que eles pensavam? 

Os gregos e romanos

Cada povo tinha uma explicação para essas belíssimas luzes que surgem nos céus. Os gregos, por exemplo, acreditavam que as luzes eram Aurora, irmã de Helios e Serine.

Representando o sol e a lua, Aurora corria cedo pela manhã com sua cauda colorida para alertar seus irmãos do amanhecer de um novo dia.

Os romanos também associaram o fenômeno com as luzes de um novo dia, acreditando que era Aurora, a deusa do amanhecer.

Mas isso era a Aurora matinal, que vemos ao amanhecer e não as Luzes do Norte que vemos na escuridão. Mas foi dai que surgiu o nome. 

Galileo quis dizer, o amanhecer do norte? Sim as luzes que brilhavam do Norte e não do Leste. Uma boa discussão.

Os Norte-americanos

Nos Estados Unidos, mais especificamente no estado de Washington, os índios Makah pensavam que as luzes eram fogueiras criadas ao norte por uma tribo de anões que a usavam para ferver gordura de baleia. 

O Povo Mandan na Dakota do Norte tinha um pensamento parecido com a tribo Makah. Pensavam que eram fogueiras utilizadas por grandes guerreiros para ferverem seus inimigos em grandes panelas. 

Os Inuits, povo indigena do Ártico, acreditavam que as luzes eram espíritos dos mortos jogando bola usando a caveira de uma morsa, bem inusitado! Já os Inuits da ilha de Nuviak inverteram essa história, e acreditavam que a luz eram espíritos de morsas jogando com uma caveira humana. 

Ainda sobre esse povo, os localizados na Baía de Hudson tinham medo das luzes, pois acreditavam ser lanternas de demônios perseguindo almas perdidas na Terra. 

Os Inuits de Point Barrow, local mais ao norte do Alasca, acreditavam que a Aurora era algo maligno e andavam com facas para se proteger dela.

Nos direcionando para a Europa, o povo Sami, chamado também de lapões, considerado o povo indigena da Noruega, tinham tanto medo do fenômeno, que se escondiam em suas casas durante o aparecimento da Aurora.

A mitologia da Aurora Boreal

Entrando mais na mitologia da Aurora Boreal, uma das mais conhecidas é a história que se refere aos Vikings, lá por 800 antes de Cristo.

Durante suas viagens e as caminhadas até a Lapônia, a Aurora agraciou todos com sua presença. Inclusive eu acredito que os vikings nunca terem conquistado a Lapônia se deve ao medo das Auroras.

E segundo a mitologia nórdica, a Aurora Boreal era vista como a grande ponte “Brifrost”, a ponte entre os deuses e a Terra. 

Segundo essa mitologia, as auroras eram vistas como Valquírias, virgens da guerra, que cavalgavam com suas armaduras derramando luz, sendo assim chamadas de “aurora borealis” ou northern lights, as Luzes do Norte.

A raposa de fogo

Assim como os nórdicos, outras lendas surgiram ao redor do mundo acerca da Aurora Boreal. Por exemplo, uma lenda finlandesa descrevia a aurora como uma raposa de fogo que vivia na Lapônia a arremessar faíscas para a atmosfera com seu rabo.

Também que era uma Raposa gigante e quando batia o seu rabo nas montanhas nevadas espalhava auroras. Em finlandes se chama Revontulet.

Os algonquinos, povo nativo americano que habita o nordeste da América do Norte, acreditavam que as luzes eram seus ancestrais dançando ao redor de uma fogueira cerimonial.

Prenúncios e presságios

Em muitas culturas, durante muito tempo, as auroras tiveram um apelo sobrenatural, sendo considerada em alguns casos como sinais divinos e prenúncios de momentos de prosperidade, em outros, o fenômeno era visto como o presságio de algo ruim.

Como por exemplo, quando na tentativa de ataque a cidade de Bizâncio, o rei Phillip, ao ordenar seu exército para atacar a cidade, foi surpreendido por uma noite de auroras. 

Mas, receoso, o rei ordenou que as tropas recuassem e posteriormente uma moeda foi gravada após o evento. A moeda possui uma figura crescente, um arco auroral.

Voltando ao povo Sami, eles possuem a crença que deve-se respeitar as auroras boreais, pois elas são símbolos da força da natureza. E por isso até hoje, os Sami possuem símbolos da aurora boreal em seus tambores. 

Os povos do norte da Sibéria estão acostumados a frequentes noites de auroras. Segundo os contos, as auroras deveriam ser afastadas e acreditavam que se fossem arremessadas pedras e elas se quebrassem, isso significaria que as luzes iriam embora e o tempo ficaria bom no dia seguinte.

Mas se a pedra caísse em um pedaço, isso significava que as luzes iriam ficar e uma tempestade poderia vir no dia seguinte.

Uma coisa incrível. Aurora Boreal em Cuba. Sim. Uma tempestade solar de 1859, também conhecida como Evento Carrington, ocorreu durante o auge do ciclo solar e se tornou referência para sabermos o tamanho e potência das tempestades solar.

Um evento dessa magnitude pode ocorrer durante o próximo ciclo que se inicia em 2021. Agora você imagina quantas vezes ocorreu durante a História?

As famosas serpentes emplumadas dos Mayas para mim também são as Auroras Boreais. Estive na Cidade do México no museu de antropologia, as descrições e desenhos da serpente são Auroras Boreais.

Expedição para vivenciar os Mitos e Lendas da Aurora Boreal

Para vivenciar os mitos e lendas da Aurora Boreal ficou fácil! 

Eu, Marco Brotto, Caçador de Aurora Boreal,  quero te convidar a experienciar um dos fenômenos mais belos do mundo e, também  vivenciar as culturas nórdicas e entender profundamente a história por trás da Dama da Noite.

Na Islândia, por exemplo, é como se fosse possível vivenciar a experiência dos Vikings, se sentindo também dentro da famosa série da Netflix. Na Noruega é possível ter contato com o povo Sami, podendo vivenciar sua essência.

Para saber mais, confira nossos roteiros e expedições

Continue acompanhando o blog para mais conteúdos e novidades sobre a Caçada à Aurora Boreal®. Embarque nesta jornada conosco!

Marco Brotto caçador de Aurora Boreal
MARCO BROTTO
Marco Brotto tornou-se conhecido como o caçador brasileiro de Aurora Boreal. Já viu centenas de spots de Aurora Boreal em vários locais do mundo, proporciona experiências incríveis para aqueles que o acompanham e possui um espetacular acervo de fotos de auroras.
POSTS RELACIONADOS
Suécia, da Série Países do Ártico
Suécia, da Série Países do Ártico
< LEIA MAIS
Tempestade Solar: o que é? Como acontece?
Tempestade Solar: o que é? Como acontece?
< LEIA MAIS
Visto ETIAS: entenda o que é, como tirar e quanto custa
Visto ETIAS: entenda o que é, como tirar e quanto custa
< LEIA MAIS